Comunidade & Missão

agosto 29, 2012

Semana Missionária: Nova Evangelização e Ano da Fé

Filed under: Ano da Fé — Joseph Charles @ 2:37 pm

“Eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos.Sede,portanto,prudentes como as serpentes e simples como as pombas.” (Mt 10,16).

Estamos próximos da celebração do Ano da Fé e nessa ocasião pretendo realizar aqui no blog partilhando esse nosso objetivo de falarmos um pouco a respeito da Jornada Mundial da Juventude que será realizado em 2013 no Rio de Janeiro,anunciado pelo Papa Bento XVI,com o tema “Ide,pois,fazei discípulos entre as nações” (Mt 28,19) e que estão trabalhando na Semana Missionária,temos a graça de compreender o quanto que somos chamados para estarmos motivados a tantos eventos que a Igreja promove em nosso coração,o principal momento de entrarmos nessa missão de anunciar a palavra de Deus,segundo a ExortaçãApostólica Verbum Domini do Papa Bento XVI,ela afirma que “É conveniente que o anúncio dos diversos ministérios seja acompanhado por breves trechos da Bíblia sobre o mistério enunciado,para assim favorecer a memorização de algumas expressões significativas da Escritura relativas aos mistérios da vida de Cristo.”(VD 88).

O único momento mais marcante da Igreja é a celebração dos 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II,e dos 20 anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica,texto promulgado pelo Beato João Paulo II.O Papa Bento XVI na sua Carta Apostólica Porta Fidei,continua afirmando que o Ano da Fé seja de fato o testemunho de vida dos cristãos para que possam crescer na sua credibilidade,ou seja,descobrir novamente os seus conteúdos da profissão de Fé(cf.Porta Fidei 9).Entretanto,podemos destacar também que o Ano da Fé,seja de fato um crescimento maduro na fé do cristão para que possam cada vez mais esse ardor de uma missão na ação evangelizadora da Igreja,semeando conforme nos diz o Documento de preparação para o Sínodo dos Bispos de 2012 que terá como tema “A Nova Evangelização para a Transmissão da Fé Cristã o Documento Lineamenta:

           “Estamos agora em condições de compreender o funcionamento dinâmico confiado ao conceito de “nova evangelização”: recorre-se a ele para indicar o esforço de renovação que a Igreja é chamada para estar á altura dos desafios que o contexto social e cultural de hoje coloca a fé cristã,ao seu anúncio e ao seu testemunho,como consequência das profundas mudanças em curso.” (Lineamenta 5).

A Nova Evangelização,se aprofunda ao aspecto de uma dimensão missionária levando no compreendimento de cada passo de nossa responsabilidade de levar no coração dos cristãos é manter a fé deles sendo que assim como os apóstolos,pediram a Jesus que aumentasse a fé deles (cf.Lc 17,5).O crescimento da fé cristã torna-se clara e fecunda em nosso coração,segundo o Catecismo da Igreja Católica: “A Igreja que é “a coluna e o sustentáculo da verdade” (ITm 3,15),guarda fielmente a fé confiada aos santos (Jd 1,3).É ela que conserva a memória das Palavras de Cristo,é ela que transmite de geração em geração,a confissão de fé dos apóstolos.Como uma mãe que ensina seus filhos a falar,e,com isto,a compreender e a comunicar,a Igreja,nossa Mãe,nos ensina a linguagem da fé para introduzir-nos na compreensão e na vida da fé.”(CIC 171).

A missão da Igreja,é,fortalecer que a fé dos cristãos seja bem amadurecidas,conforme nos ensina o Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer Arcebispo metropolitano de São Paulo,em sua mensagem ao Grupo de Trabalho paras as Comemorações dos 50 anos do Concílio Vaticano II: “A finalidade pastoral do Concílio Vaticano II pode ser compreendida a partir do grande discurso de abertura,e já mencionado Gaudet Mater Ecclesia,do qual tomamos dois pontos centrais.”(GT 5).Com toda essa coerência de estarmos trabalhando com a Nova Evangelização,surge uma citação do Documento da Conferência de Santo Domingo,que reflete sobre a questão desse assunto:

       ” O compromisso é de todos a partir de comunidades vivas.Um especial protagonismo corresponde aos leigos em continuidade com as orientações da exortação apostólica Christifideles Laici.Entre eles,seguindo o convite constante do Papa,convocamos mais uma vez os jovens para que sejam força renovadora da Igreja e esperança do mundo.A fim de suscitar presbíteros,diáconos permanentes,religiosos,religiosas e membros dos institutos seculares para a nova evangelização,impulsionaremos uma vigorosa pastoral das vocações.”(SD 293).

 Na Exortação Apostólica Christifideles Laici,chegamos a uma conclusão onde cada um de nós tenhamos vivenciado a nossa vocação,por inteiro,estarmos vivendo a vocação á santidade,fortificados assumindo como cristãos leigos somos chamados a experimentar dentre as vocações para a nossa profissão de fé: «É,pois,necessário,em primeiro lugar,que os pastores,ao reconhecer e ao conferir aos fiéis leigos os vários ministério,ofícios e funções,tenham o máximo cuidado em instruí-los sobre a raiz batismal desta tarefas» (ChL 23).

Que nessa certeza,onde possamos então viver praticamente o Ano da Fé,inspirados em uma missão leve ao mundo inteiro anunciar a Palavra de Deus em todo instante,que nós possamos então,levar a diante o caminho da evangelização acontecendo em todos os lares entre outros lugares,precisam ser fortalecidos no coração das pessoas.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista

Comunidade de Aliança

Fraternidade Pequena Via,Campos,RJ

março 21, 2012

Nova Evangelização para a transmissão da fé cristã

Filed under: Ano da Fé,Missão,Nova Evangelização — Joseph Charles @ 6:17 pm

“Jesus se aproximou deles e disse:”Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra.Ide,pois,fazer discípulos entre todas as nações,e batizai-os em nome do Pai,do Filho e do Espírito Santo.Ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado.Eis que estou convosco todos os dias,até o fim dos tempos.” (Mt 28,18-20).

No dia 11 de outubro de 2011,o Papa Bento XVI publicou a Carta Apostólica sob forma de Motu Próprio que tem como título Porta Fidei,que quer dizer porta da fé,com a qual se proclama o Ano da Fé:“À luz de isto,decidi proclamar um Ano da Fé.Este terá início a 11 de Outubro de 2012,no cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II,e terminará na Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo a 24 de Novembro de 2013.Na referida data de 11 de Outubro de 2012,completar-se-ão também vinte anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica,texto promulgado pelo meu Predecessor,o Beato João Paulo II”.(Porta Fidei 4).

Nessa mesma perspectiva,será realizada uma Assembléia especial do Sínodo dos Bispos com o tema:“A Nova Evangelização para a transmissão da Fé Cristã”.São Tomás de Aquino define fé como o “ato do intelecto que assente à verdade divina,sob a influência da vontade movida por Deus mediante a graça”.Esse conceito,de certo modo estritamente intelectual da fé,foi o desenvolvido pela teologia de cunho nitidamente racional da idade média;a seguir,as controvérsias levantadas pela reforma,a qual ensinava que é um ato de confiança,levaram a teologia católica a enfatizar ainda mais a característica intelectual da fé.A noção bíblica da fé,que precede a todos esses movimentos comporta também elementos racionais,porém,vista como um todo,é um ato psíquico mais amplo do que o ato de fé definido por São Tomás de Aquino.É o que diz também João Paulo II: “Cada um,quando crê,confia nos conhecimentos adquiridos por outras pessoas.Nesse ato,pode-se individuar uma significativa tensão:por um lado,o conhecimento,que precisa de se aperfeiçoar progressivamente por meio da evidência alcançada pela própria pessoa;por outro lado,a crença é muitas vezes mais rica,humanamente,do que a simples evidência,porque inclui a relação interpessoal,pondo em jogo não apenas as capacidades cognoscitivas do próprio sujeito,mas também a sua capacidade mais radical de confiar noutras pessoas,iniciando com elas um relacionamento mais estável e íntimo”.(Fides Et Ratio 32).

O Concílio Vaticano II,por meio da Constituição Pastoral Gaudium et Spes,nos fala da importância da fé para a promoção da cultura:“Os cristãos,a caminho da cidade,celestial,devem buscar e saborear as coisas do alto.Mas,com isso,de modo algum diminui,antes  aumenta a importância do seu dever de colaborar com todos os outros homens na edificação de um mundo mais humano.E na verdade o mistério da fé cristã fornece-lhes valiosos estímulos e ajudas para cumprirem mais intensamente essa missão e sobretudo para descobrirem o pleno significado de tal atividade,pelo qual a cultura humana atinga o seu lugar privilegiado na vocação integral do homem”.(GS 57).

A qualidade intelectual da fé,como é exposta na teologia moderna,é expressa por outros termos como “conhecer a Deus”,o que não é conhecimento especulativo,mas experiência de Deus através de sua palavra revelada e de seus atos de salvação.O termo comum para descrever a resposta do homem não é “crer”,mas “ouvir” no sentido de “estar atento”,isto é,ouvir de modo a aceitar e obedecer.O Catecismo da Igreja Católica afirma que É fundamentalmente a palavra que exprime a crença e a confiança,a declaração de que a pessoa acreditada é segura,verdadeira e fiel.(cf.CIC § 949).

Queridos irmãos e irmãs,conforme esse texto sobre a Nova Evangelização,nos faz surpreender a cada momento,esse artigo,que eu havia elaborado no Jornal da Comunidade Católica Fraternidade Pequena Via,sobre o tema “Nova evangelização para a transmissão da fé”,foi para que esse artigo tratar-se relacionado ao Ano da Fé que iremos celebrar no mês de Outubro de 2012.O objetivo desse artigo,é para tratarmos a respeito de um novo começo para a evangelização na Igreja Católica,quero lembrar que essa temática sobre a Nova Evangelização,retrata um começo importante para nós voltarmos a evangelizar desde o começo onde tudo começou.Sendo assim,as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora na Igreja do Brasil no período de 2011-2015,nos trata sobre as urgências na Ação Evangelizadora da Igreja:

                “O encontro com Jesus Cristo é o acolhimento da graça do Pai que,pela força do Espírito,revela o Salvador e      atua,no coração de cada pessoa,possibilitando-lhe esta resposta.” (DGAE  7).

Portanto,o objetivo de trabalharmos com a Nova Evangelização,nos traz um verdadeiro aspecto fundamental quando somos chamados a entrarmos nessa condição de Discípulos Missionários,sendo que todas as pessoas que necessitam dessa graça de Deus tornando-se discípulos de Jesus Cristo.“Nisto,conhecerão todos que sois meus discípulos;se vos amardes uns aos outros”.(Jo 13,35).Por isso,temos a graça de compreender que a missão de nos tornarmos Discípulos de Jesus Cristo,nós estamos nesse chamado de Deus à Vocação Missionária,como ensina o Decreto Ad Gentes:”Cada discípulo de Cristo tem sua parte na tarefa de propagar a fé.Mas Cristo,o Senhor,apesar disso sempre chama dentre os discípulos aqueles que Ele mesmo quer,para que estejam com Ele e os envia a pregar aos povos.Por isso através do Espírito Santo,que distribui os carismas para a utilidade,como quer,inspira a vocação missionária no coração de cada um e suscita Institutos na Igreja,que aceitam como ofício próprio a tarefa da evangelização,dever de toda a Igreja”.(AG 23).

Que Deus,nosso Senhor,nos faça fortalecer na fé e levar o anúncio do Evangelho a todos os povos e nações para que haja uma nova evangelização para a transmissão da fé e promoção da cultura.Sejamos todos discípulos e missionários de Jesus Cristo,a serviço da nova evangelização.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista

Comunidade Fraternidade Pequena Via-Campos dos Goytacazes,RJ

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.