Comunidade & Missão

maio 6, 2013

Comunidade de Comunidades: Uma nova Paróquia

Filed under: Comunidade e Missão,Evangelização,Formação,Igreja — Joseph Charles @ 3:47 pm

“Na Igreja,Deus constituiu primeiramente,os apóstolos,em segundo lugar os profetas,em terceiro lugar os doutores,depois os que têm o dom dos milagres,o dom de curar,de socorrer,de governar,de falar diversas línguas.” (1Cor 12,28).

O tema central da 51ª Assembléia Geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil),nos faz relacionarmos com o tema relacionado as Paróquias,sendo assim é importante ressaltar que a Paróquia se torna cada vez mais uma Comunidade de Comunidades.Segundo as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil,nos explica o essencial de uma ação missionária e evangelizadora dentro de nossas comunidades paroquiais.Sendo esse exemplo a paróquia,que torna-se cada vez mais uma Paróquia discípula e missionária é elevar no coração de Deus os caminhos para que a evangelização se torne cada vez mais ampla e tornando as paróquias sendo comunidades de formação permanente na Igreja,segundo o que nos garante as Diretrizes Gerais da CNBB:

“É,pois,nesse sentido,que emergem algumas urgências na evangelização que,por isso mesmo,devem estar presentes em todos os processos de planejamento e nos consequentes planos,independentemente do local onde as ações evangelizadoras aconteçam.Tais urgências dizem a respeito à busca e ao encontro de caminhos para a transformações profundas.São o elo entre tudo que se faz em termos de evangelização em todo o brasil.Mostram uma Igreja em comunhão com sua história,com as conclusões da Conferência de Aparecida e, por isso mesmo,com as demais Igrejas no Continente e com a realidade perplexa e sofrida do povo.” (DGAE 28).

A Igreja precisa com urgência trabalhar na ação evangelizadora para que a missão possa dar um conceito triunfante no coração de um exemplo mais específico para que a Igreja possa trabalhar com muita responsabilidade e no ardor missionário da Igreja,sendo que segundo o que nos ensina o Concílio Vaticano II na Constituição Pastoral Gaudium et Spes:

“O homem de hoje está a caminho de desenvolver mais plenamente a sua personalidade e descobrir e afirmar,cada dia mais,os seus direitos.Mas como foi confiado à Igreja manisfestar o mistério de Deus,deste Deus que é o fim último do homem,ao mesmo tempo revela ao homem o sentido de sua própria existência,a saber,a verdade essencial a respeito do homem.A Igreja sabe perfeitamente que só Deus,ao qual serve,responde ás aspirações profundìssimas do coração humano,que nunca se sacia plenamente com os alimentos terrestres.Sabe além disso que o homem impulsionado sem cessar pelo Espírito de Deus,jamais será de todo indiferente aos problemas da religião,como se comprova não só pela experiência dos séculos passados,mas também pelo abundante testemunho dos nossos tempos.” (GS 41).

Com as palavras do Concílio Vaticano II,a Igreja precisa cada vez mais tornar-se uma Igreja discípula e missionária a cada instante em nossas vidas,portanto a Igreja precisa ter um excelente ardor missionário para que possamos então sermos uma Igreja que valoriza a evangelização tornando-a como “a missão do Magistério está ligado ao caráter definitivo da Aliança instaurada por Deus em Cristo com seu Povo;deve possibilidade objetiva de professar sem erro a fé autêntica.”(cf.CIC  890).E ainda mais o Concílio continua falando a exemplo do ser humano se tornar cada vez mais abundante servindo na Igreja:

“Além disso a Igreja Católica de boa vontade aprecia muito o que as outras Igrejas cristãs ou comunidades eclesiásticas realizaram e realizam em trabalho conjunto para o cumprimento da mesma missão.Ao mesmo tempo está firmemente persuadida de que pode receber preciosa e diversificada ajuda do mundo,não só dos homens em particular,mas também da sociedade,dos seus dotes e atividades,na preparação do Evangelho.A seguir expõem-se alguns princípios gerais para a adequada promoção desta relações e auxílios mútuos,naqueles setores que são de algum modo comuns à Igreja e ao mundo.” (GS 40).

Portanto a Igreja precisa ter em toda a ação evangelizadora uma forma de transmitir a fé cristã para aqueles que estão verdadeiramente se tornando cada vez mais uma Igreja discípula e missionária,segundo o Documento de Aparecida que nos diz assim:

“A Igreja deve cumprir sua missão seguindo os passos de Jesus e adotando suas atitudes (cf.Mt 9,35-36).Ele sendo Senhor,se fez servidor e obediente até à morte de cruz (cf.Fl 2,8);sendo rico,ele escolheu ser pobre por nós (cf.2Cor 8,9),ensinando-nos o caminho de nossa vocação de discípulos e missionários.No Evangelho aprendemos a sublime lição de ser pobres seguindo a Jesus pobre (cf.Lc 6,20;9,58),e a de anunciar o Evangelho da paz sem bolsa ou alforje,sem colocar nossa confiança no dinheiro nem no poder deste mundo (cf.Lc 10,4ss).Na generosidade dos missionários se manifesta a generosidade de Deus,na gratuidade dos apóstolos aparece a gratuidade do Evangelho”. (DAp 31).

O Documento ainda continua dizendo a nossa experiência da alegria de ser discípulos e missionários de Jesus Cristo e para nós é importante saber que:

“Neste encontro com Cristo,queremos expressar a alegria de sermos discípulos do Senhor e de termos sido enviados com o tesouro do Evangelho.Ser cristão não é uma carga,mas um dom: Deus Pai nos abençoou em Jesus Cristo seu Filho,Salvador do mundo.” (idem. 28)

A alegria de ser discípulo missionário conforme nos dizia o Documento não é uma carga mas sim é um dom que Deus enviou por meio de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor,a nos disponibilizar-nos para entrar no caminho da missão e perseverar sempre na oração conforme nos orienta os apóstolos no qual o momento mais triunfante de nossa vida,é transformar um exemplo de fé e de sermos Igreja discípula e missionária.”Os sinais dos tempos apontam para a importância de um novo tipo de ação política,que valorize a iniciativa popular,de grupos e comunidades que se dispõem a pôr as mãos na massa para realizar iniciativas concretas,para responder a necessidades reais.(cf.CNBB,Doc.80.p.65).Portanto,a Comunidade é o lugar de formar cristãos de verdade para que a missão da Paróquia é transmitir a fé cristã,para que possamos corresponder a buscar a missão e a identidade da Igreja formar homens e mulheres para uma nova vida transformando o mundo novo em um mundo mais desenvolvido pela gratidão de Deus e para a nova forma de evangelizar.

“O Povo santo de Deus participa também do múnus profético de Cristo,pela difusão do seu testemunho vivo,sobretudo através de uma vida de fé e caridade,e pelo oferecimento a Deus do sacrifício de louvor,fruto de lábios que confessam o seu nome (cf.Heb 13,15).” (Lumen Gentium 12).

Por isso,a Igreja precisa de um povo santo para que a Igreja continue dando o seu testemunho vivo,por meio de Jesus Cristo para que todos nós possamos dar a prática de formar uma comunidade em rede de comunidades,possamos dar a missão da Igreja colocando em prática verdadeiramente no caminho de fé e de esperança no ardor missionário da Igreja,precisamos dar mais força para que a nossa Igreja seja uma Igreja autêntica para a nossa fé e sendo unidos na forma do amor e da resposta que devemos seguir profundamente a nossa fé seguida na vida e nos passos de Jesus.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista

Fraternidade Pequena Via

Comunidade de Aliança

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: